Última hora

Última hora

Imigração ilegal em debate na 29ª cimeira franco-italiana

Em leitura:

Imigração ilegal em debate na 29ª cimeira franco-italiana

Tamanho do texto Aa Aa

A crise provocada pelo grande afluxo de imigrantes vindos do Norte de África rumo à Europa promete dominar a 29ª cimeira franco-italiana, que decorre esta terça-feira, em Roma.

O presidente francês Nicolas Sarkozy e o primeiro-ministro italiano Silvio Berlusconi têm uma oportunidade para acalmar as relações tensas entre os dois países, que discordam sobre a aplicação do Tratado de Schengen.

França já disse que quer rever as “cláusulas de salvaguarda” do acordo sobre a livre circulação de pessoas. Uma situação que permitirá ao país retomar o controlo das fronteiras, em caso de um grande afluxo de imigrantes ilegais.

De acordo com o Eliseu, o presidente francês vai propor ao primeiro-ministro italiano uma iniciativa comum neste sentido.

Esta situação tem sido recorrente nos últimos tempos, quer em Menton quer em Ventimiglia, localidades situadas na fronteira franco-italiana.

França defende a manutenção do Tratado de Schengen, mas não concorda com as autorizações de residência temporária, concedidas por Roma a mais de 20 mil tunisinos.

O ministro francês dos Assuntos Europeus diz que a “Europa não é a livre circulação de cidadãos ilegais”. Opinião que vai ao encontro do pensamento do ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, que defende uma revisão do Tratado, em nome das novas realidades.

Outro dos assuntos em cima da mesa nesta cimeira é a posição francesa na Líbia, uma antiga colónia italiana, onde perduram interesses económicos e energéticos. Destaque ainda para a recente aquisição de várias empresas italianas de renome por parte de grandes grupos franceses.