Última hora

Última hora

Kaddafi: "não precisam de lançar uma guerra só por causa do petróleo líbio"

Em leitura:

Kaddafi: "não precisam de lançar uma guerra só por causa do petróleo líbio"

Tamanho do texto Aa Aa

O líder líbio volta a afirmar estar disponível para negociar um cessar-fogo com a NATO. Numa nova aparição, de 80 minutos, na televisão pública líbia, Mouammar Kaddafi afirmou que não vai abandonar o poder, tendo apelado à França e aos Estados Unidos para que suspendam os bombardeamentos no país.

“Eu sou uma figura sagrada para o povo líbio, sou um símbolo e um pai para a população (…) Se querem petróleo, estou disponível para negociar contratos com as vossas empresas, não necessitam de lançar uma guerra”, afirmou.

A resposta da NATO chegou sob a forma de novos ataques sobre Tripoli. Vários mísseis atingiram esta madrugada três edifícios oficiais nas imediações da televisão pública, sem afetar a transmissão da mensagem do dirigente líbio.

O discurso de Kaddafi foi difundido horas depois das forças fiéis ao regime terem lançado uma nova ofensiva para recuperar o controlo sobre a cidade de Dehiba, junto à fronteira tunisina.

Algumas fontes referem que militares tunisinos teriam participado nos confrontos dos últimos dias, depois dos confrontos terem ultrapassado a linha de fronteira, entretanto encerrada.

Túnis condenou ontem o que considerou ser a violação do seu território pelas tropas líbias.

Mas a principal prioridade do regime continua a ser a reconquista da estratégica cidade portuária de Misrata, um enclave da rebelião a Oeste do país.

Tripoli prossegue os bombardeamentos sobre a cidade e ameaçou atacar todos os navios que se aproximem do porto.

As forças da NATO retiraram ontem várias minas submarinas das águas costeiras para reabrir a única via de acesso da ajuda humanitária à cidade.