Última hora

Última hora

Bin Laden na "cidade mais segura do Paquistão"

Em leitura:

Bin Laden na "cidade mais segura do Paquistão"

Tamanho do texto Aa Aa

Uma das academias militares mais prestigiadas do Paquistão foi durante anos vizinha do homem mais procurado do mundo. A cidade de Abbottabad fica a apenas duas horas da capital paquistanesa e é considerada um dos lugares mais seguros do noroeste do país. Tão seguro que foi aqui que Bin Laden se escondeu. “Com ou sem cumplicidade dos paquistaneses?” é a questão que muitos se colocam.

A mansão, avaliada em mais de um milhão de dólares, estava protegida por muros de quatro a seis metros com arame farpado.

Ler mais…

Naeem Mahmood vive em Abbottabad, que considerava ser “o lugar mais seguro do Paquistão”. Agora, teme que deixe de o ser porque “a Al-Qaeda vai planear ataques de retaliação, sobretudo neste lugar, mas também no resto do país”.

Os talibãs paquistaneses reagiram horas depois do anúncio da morte do seu mentor. Numa mensagem áudio, um porta-voz do grupo promete que “em vingança pelo assassinato de Osama bin Laden, o Paquistão transformou-se no primeiro alvo e a América no segundo”. Além disso, o primeiro-ministro, o chefe das Forças Armadas e o presidente paquistaneses passam a estar na lista negra dos talibãs.

Uma mensagem que promete inflamar os ânimos dos mais radicais. Nas ruas de Quetta, no sudoeste do país, centenas lamentaram a morte de Bin Laden e prometeram continuar a guerra santa contra os que chamam de “infiéis”.

“Queremos dizer ao mundo que o martírio de Osama Bin Laden não vai acabar com a jihad. Cada membro será como Bin Laden e tornar-se-á num perigo para a América e para o mundo infiel”, garantiu um militante do partido islâmico.

Para o provar, os manifestantes queimaram uma bandeira norte-americana.