Última hora

Última hora

Brasil procura segurança para o "Mundial"

Em leitura:

Brasil procura segurança para o "Mundial"

Tamanho do texto Aa Aa

A segurança é um enorme desafio para Brasil, porque se aproxima o Campeonato do Mundo de 2014.

No Rio de Janeiro, as autoridades estão a montar um centro de operações, equipado com as tecnologias mais recentes.

No principal centro de operações, os monitores de televisão reproduzem as imagens captadas por centenas de câmaras, estrategicamente colocadas em diversos pontos da cidade.

Vinte esquadras da cidade partilham do mesmo espaço. Estão a treinar-se, no uso da informação recebida.Sobretudo, a treinar a resposta aos casos mais urgentes, quer se trate de um congestionamento de trânsito, uma inundação ou um deslizamento de terras.

A qualquer instante os operadores podem receber dados sobre os níveis dos rios, a meteorologia, o funcionamento dos comboios. E muito mais.

Carlos Osório, secretário das operações, diz que se trata do sistema mais denvolvido do mundo:

“Esta parede video é a maior da América Latina. Usa a tecnologia mais recente e aqui temos todas as operações da cidade registadas e visualizadas. E podemos modificar esta tela, quando os incidentes específicos ocorrerem na cidade. É uma tecnologia de visuais das mais avançads que ajuda realmente os nossos operadores a tomar decisões rapidamente”

A previsão do mau tempo e da chuva forte que podem causar desabamentos é outra função importante do centro. Uma função explicada pelo coordenador, Alexandre Cardeman:

“Aqui, nós temos a área de risco elevado, vermelha, no amarelo estamos em risco médio e no verde estamos com baixo risco. Está aqui a sirene que indicará quando as pessoas precisam de deixar a área, devido à chuva e ao perigo de enxurradas”.

Todas as grandes realizações desportivas serão monitorizadas, para perceber se as multidões se podem deslocar com segurança.

O controle de multidões foi testado durante o carnaval. Um sistema de câmaras moveis montadas em carros seguiu os movimentos, nas ruas da cidade.

As câmaras web estão também previstas e serão usadas por operadores que se misturam, com as multidões.