Última hora

Última hora

Sírios dão a vida pela liberdade

Em leitura:

Sírios dão a vida pela liberdade

Tamanho do texto Aa Aa

O movimento de contestação não acalma na Síria.

Desde que começaram os protestos, mais de oito mil pessoas foram detidas ou estão desaparecidas e os comités de coordenação das manifestações garantem que a revolução vai prosseguir, até que o povo obtenha a liberdade.

Os protestos continuam a expandir-se, tendo já chegado ao campus universitário de Alepo, uma cidade até agora à margem do movimento.

Entretanto, centenas de pessoas estão sob a mira da justiça acusadas de atentarem contra “o prestígio do estado”, um crime cuja pena pode chegar aos três anos de prisão.

Os militantes denunciam a repressão e as detenções arbitrárias; as autoridades falam da infiltração de grupos armados entre os civis e as forças da ordem.

Desde 15 de Março que os habitantes de Deraa não baixam os braços. O presidente Bachar al Assad afirma que todos os países podem conhecer acontecimentos como os de Deraa e garante que a missão do exército na cidade está prestes a terminar.