Última hora

Última hora

Prisão perpétua para ultranacionalista russo

Em leitura:

Prisão perpétua para ultranacionalista russo

Tamanho do texto Aa Aa

Um ultranacionalista russo foi condenado a prisão perpétua por um tribunal de Moscovo pela morte de um conhecido advogado e uma jornalista em 2009. Um crime que na altura suscitou uma grande indignação.

Nikita Tikhonov de 21 anos recebeu a pena máxima e a cumplice e companheira, Evguenia Khassis, de 26 anos, foi condenada a 18 anos atrás das grades.

Nikita Tikhonov fica também obrigado a pagar 50 mil euros em danos morais e materiais.

Os dois vão apresentar recurso da decisão.

Sergey Markin, do Comité Especial de Investigações da Federação Russa, explica porque foi atribuída a pena máxima. “O trabalho dos investigadores de reunir as provas da culpabilidade dos arguidos foi validado pelo juri e as provas diretas e indiretas foram consideradas satisfatórias”, disse.

Os dois foram detidos em Novembro de 2009, dez meses depois do crime. Em Janeiro desse ano, Nikita e Evguenia abateram Stanislav Markelov, um advogado muito ativo na defesa de vítimas de atos racistas, à saída de uma conferência de imprensa em Moscovo. A jornalista Anastassia Babourova, do Novaya Gazeta, também foi abatida quando tentava impedir o crime.