Última hora

Última hora

Obama quer que Paquistão investigue "rede de apoios" a bin Laden

Em leitura:

Obama quer que Paquistão investigue "rede de apoios" a bin Laden

Tamanho do texto Aa Aa

Barack Obama pressiona Islamabad e pede uma investigação à “rede de apoios” de Ossama bin Laden no Paquistão.

Ler mais…

Declarações do presidente norte-americano no programa “60 Minutos” da CBS, no mesmo dia em que o Pentágono divulgou vídeos encontrados na casa onde o líder da Al Qaida foi morto e que desmistificam a imagem do terrorista mais procurado do mundo.

Mais cauteloso, o conselheiro de Obama para a segurança nacional, Tom Donilon, afirmou que “de momento, não existem indícios de que [Islamabad] tinha conhecimento prévio. Mas o facto é que bin Laden residiu durante seis anos a 56 quilómetros da capital paquistanesa, numa cidade que possui uma importante academia militar. Isso precisa de ser investigado”.

O embaixador do Paquistão nos Estados Unidos garante que Islamabad não tinha conhecimento do esconderijo de bin Laden, mas prometeu que “vão rolar cabeças” entre os altos responsáveis paquistaneses.

Hussain Haqqani disse que “quando a investigação estiver concluída, vão rolar cabeças. Se for uma questão de incompetência, essa informação será partilhada [com os Estados Unidos]. E se for descoberto que alguém foi cúmplice, haverá uma tolerância zero”.

Washington, que não preveniu Islamabad da operação militar que resultou na morte do líder da Al Qaida a 2 de Maio, tem aumentado a pressão sobre as autoridades paquistanesas, para que estas expliquem como o homem mais procurado do mundo podia viver escondido na cidade militar de Abbottabad.