Última hora

Última hora

Rebeldes líbios lutam por Misrata

Em leitura:

Rebeldes líbios lutam por Misrata

Tamanho do texto Aa Aa

Os rebeldes líbios multiplicam os ataques, no mesmo dia em que se efectuam os funerais de 11 lideres religiosos, mortos na sexta-feira, por um raid da Nato.

A aliança ainda não assumiu qualquer responsabilidade nestas mortes.

Este sábado, os rebeldes continuam a tentar ganhar posições à volta da cidade Misrata, depois da tomada do aeroporto.

Obrigaram as forças governamentais a um recuo e alguns relatos dão conta de uma progressão dos rebeldes de 20 quilómetros, atingindo já a porta leste de Tavarga.

Um avanço que foi acompanhado pelo correspondente da euronews, Alberto Arce:

“Neste momento, estamos em Tamina, sobre a frente oriental da cidade que protege a entrada do porto. Estamos com a milícia dirigida pela família Halbush. Todos os homens se preparam, se juntam nos carros, para iniciarem o movimento ofensivo”, contava, há pouco o correspondente da euronews.

So os rebeldes conseguirem o controle das infra-estuturas de transportes da região, o regime fica muito mais enfraquecido.

E as dificuldades são enormes. Há registo do abandono de cadáveres de soldados do exército e de de carros, carregados de munições.

Os rebeldes tiveram também duas baixas.

Kadafi pode perder o acesso à produção petrolífera. É nesta região que a guerra se tem centrado.

O regime continua a usar a televisão pública para atribuir responsabilidades à Nato pela morte de 11 religiosos, na manhã de sexta-feira.

Na noite de sexta-feira para sábado, foram ouvidas seis fortes explosões nos arredores de Tripoli, a capital.

Um navio romeno, entretanto, prestou assistência a 150 refugiados que abandonaram o país a bordo de uma pequena embarcação.