Última hora

Última hora

Conflitos com exército provocam mortos em dia da "Catástrofe"

Em leitura:

Conflitos com exército provocam mortos em dia da "Catástrofe"

Tamanho do texto Aa Aa

Manifestantes e forças israelitas envolveram-se este domingo em confrontos, nas fronteiras da Síria, Líbano e Faixa de Gaza, com o Estado de Israel.

Cerca de uma dezena de pessoas morreram e mais de 20 ficaram feridas quando centenas de palestinianos, provenientes da Síria, atravessaram a fronteira do país com os Montes Golã, ocupados por Israel desde 1967.

As manifestações marcam o aniversário da “Al Nakba” ou “A Catástrofe”. Os palestinianos lembram o exílio e o trauma que representou, para eles, a criação do Estado de Israel, em 1948.

Bombas e gás lacrimogéneo foram lançados num campo de refugiados na Cisjordânia e nos subúrbios de Jerusalém como forma de dispersar uma multidão que respondia arremessando pedras às forças israelitas.

Para evocar a “Nakba” foi convocada para este domingo o início de uma Terceira Intifada, em páginas de internet. Várias centenas de manifestantes saíram para as ruas gritando palavras de ordem como “liberdade” ou “fim da ocupação” israelita da Cisjordânia e do bloqueio da Faixa de Gaza.

O exército disparou contra uma multidão de palestinianos, na Faixa de Gaza. Nesse confronto mais de 6 dezenas de pessoas terão ficado feridas.

Por altura da criação do Estado israelita cerca de 760 mil palestinianos fugiram. Hoje são quase cinco milhões de pessoas distribuídas, na sua maioria, pela Jordânia, Síria, Líbano e territórios palestinianos.

A assinalar a efeméride, estão as novas gerações, que apesar de nunca terem vivido nos territórios que hoje fazem parte de Israel, exigem o regresso.

Em Gaza milhares de crianças exibiam bandeiras e chaves antigas que representam a vontade de retornar a casa.