Última hora

Última hora

Imprensa grega considera Strauss um amigo

Em leitura:

Imprensa grega considera Strauss um amigo

Tamanho do texto Aa Aa

A maioria dos comentadores converge numa análise: os acontecimento que envolvem Dominique Strauss-Kahn, nos Estados Unidos, acabaram com um amigo que estava a ajudar a Grécia a enfrentar as suas dificuldades com Berlim, com a City e com Wall Street.
 
É isso pelo menos que se lê na imprensa grega desta segunda-feira.
 
Nas ruas de Atenas, apesar de tudo, ainda reina algum optimismo:
 
 
“Eu gostaria de acreditar que não temos com que nos preocupar, porque a Europa tem as suas políticas e o Fundo Monetário Internacional tem também as suas políticas  e não acredito que a substituição de Strauss-Kahn – que acontecerá certamente – mudará muito as coisas”.
 
Antes da reunião do Ecofim, ele devia encontrar-se com Angela Merkel, para dicutir um novo pacote financeiro de auxílio à Grécia que podia rondar os 30 mil milhões de euros.
 
E tal como no passado recente, todos acreditavam que ele seria capaz de convercer a renitente chanceler alemã. 
 
Os jornais helénicos escrevem que foi ele que obrigou a Europa a vencer as suas querelas internas, em 2010, para defender o Euro e salvá-lo dos ataques especulativos.
 
Há poucos dias, tinha dito que a Grécia podia resolver os seus problemas, sem reestruturar a dívida e sem abandonar o euro.