Última hora

Última hora

Líbia: O drama dos refugiados

Em leitura:

Líbia: O drama dos refugiados

Tamanho do texto Aa Aa

A Tunísia avisou a Líbia, que apresentaria uma queixa no Conselho de Segurança das Nações Unidas, caso Tripoli continuasse a bombardear território tunisino junto à fronteira onde se encontram milhares de refugiados.

Entretanto, segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, desde o início do conflito na Líbia, cerca de 14 mil pessoas fugiram do país para Itália e Malta.

O pessoal do Alto Comissariado constatou que centenas de pessoas que tinham inicialmente fugido para a Tunísia ou o Egito voltaram à Líbia para viajarem de barco para a Europa.

Entre os refugiados estão membros das comunidades da Somália, da Eritreia e da Etiópia.

“Estivemos fechados em casa mais de duas semanas ou mesmo três. Não podíamos sair para arranjar comida. Para não morrermos, arranjamos um barco e fugimos”, disse um refugiado chegado a Lampedusa.

Ainda segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, desde 25 de março cerca de 1.200 pessoas terão desaparecido na travessia do Mediterrâneo.