Última hora

Última hora

Maioria dos franceses acredita numa conspiração

Em leitura:

Maioria dos franceses acredita numa conspiração

Tamanho do texto Aa Aa

A maioria dos franceses acredita que Dominique Strauss-Khan foi vítima de uma conspiração. De acordo com uma sondagem, 57 % pensa que houve “complô”, 32% acha o contrário e 11% não responde.

Culpado ou inocente, a imagem do diretor do FMI está manchada. “Qualquer que seja o resultado das investigações e do procedimento judicial, seja ele declarado inocente, ilibado ou não, acho que a imagem dele está arruinada por isso diria que a carreira dele parou”, diz uma parisiense.

“É no sistema americano que vemos os presumíveis culpados, eles são considerados culpados, algemados e tudo o mais. Naturalmente que em França isso é um choque. Eu venho da Bélgica mas apesar de tudo isso é um choque, principalmente quando era dado como um presidenciável.”

Strauss-Khan era de facto a personalidade mais bem posicionada para a corrida presidencial do próximo ano. Era porque, segundo a maioria das opiniões, aquele que foi ministro das Finanças de Lionel Jospin tem a reputação irremediavelmente danificada. Dominique Moisi, analista político, explica. “Não acredito que ele consiga recuperar politicamente de um escândalo como este, mesmo que seja provada a inocência. Como chefe do FMI ele fez um trabalho admirável. Profissionalmente apenas o podemos elogiar. Havia um frágil e talvez obscuro lado da sua personalidade mas isso são assuntos privados, não profissionais ou políticos”, diz.

Apesar de tudo e ainda de acordo com as sondagens, a maioria dos franceses pensa que, mesmo com outra candidatura, o Partido Socialista pode triunfar.