Última hora

Última hora

Síria, Irão e Bielorrússia alvo de mais sanções da UE

Em leitura:

Síria, Irão e Bielorrússia alvo de mais sanções da UE

Tamanho do texto Aa Aa

A Europa aumenta a pressão sobre o regime de Bashar al-Assad.

Os “27” aprovaram esta segunda-feira um novo pacote de sanções, que inclui o próprio presidente sírio.

Bashar Al-Assad, tal como outras figuras de destaque do Governo de Damasco, foram incluídos na lista de pessoas proibidas de viajar para a União Europeia. Ficou ainda decidido o congelamento dos seus ativos económicos.

“A repressão na Síria continua e é importante o direito a um protesto pacífico, a libertação de presos políticos e abrir caminho às reformas e não à repressão no país ao longo dos próximos dias e semanas”, disse o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, William Hague.

No encontro dos ministros europeus dos Negócios Estrangeiros, em Bruxelas, decidiu-se ainda reforçar as sanções contra o regime de Muammar Kadafi, na Líbia.

Os representantes reafirmaram o apoio ao Conselho Nacional de Transição, que reconhecem como interlocutor no terreno.

A falta de progressos no diálogo sobre o programa nuclear iraniano conduziu também a um agravamento das sanções contra o regime de Mahmoud Ahmadinejad.

Os chefes da diplomacia dos 27 decidiram acrescentar cem novas entidades à lista de empresas e pessoas afetadas pelo congelamento de bens económicos.

A Bielorrússia também foi alvo de um reforço das sanções, depois da condenação a cinco anos de cadeia do ex-candidato da oposição Andrei Sannikov. A União Europeia considera a pena injusta, provocada por “motivos políticos.”