Última hora

Última hora

Agência de Energia Atómica no Japão

Em leitura:

Agência de Energia Atómica no Japão

Tamanho do texto Aa Aa

O governo japonês quer saber mais sobre o acidente nuclear de Fukushima, porque as consequências continuama agravar-se.

A decisão foi tomada no mesmo dia em chegou a Tóquio uma delegação da Agência de Energia Atómica.

Quatro dos seis reactores apresentam sinais de forte desgaste, depois das explosões, o que explica a sucessão de inundações que se verificou, depois do acidente, a 11 de Março.

Em três desses reactores, o combustível já foi, parcialmente fundido, como disse esta terça-feira o porta-voz da empresa operadora das centrais necleares.

Os reactores 2 e 3, conseguiram controlar e reter ainda alguma capacidade de refrigeração, por um curto período, disse a mesma fonte.

O governo anunciou entretanto a nomeação de uma comissão de peritos independentes, para averiguar todas as circunstâncias do acidente.

Isto, no mesmo dia em chegou ao Japão uma missão da Agência de Energia Atómica, Vem recolher informação, como disse o chefe da missão:

“Estamos aqui para recolher informação e procurar aprender estas lições que podemos aplicar por todo o mundo, para melhorar a segurança nuclear, mesmo aos mais altos níveis”.

A comissão nomeada pelo governo será liderada pelo académico, Yotaro Hatamura, um especialista em erros humanos.

Não terá qualquer restrição de acesso, a documentos ou pessoas, incluindo membros do governo.