Última hora

Última hora

G8: Kadhafi "deve partir"

Em leitura:

G8: Kadhafi "deve partir"

Tamanho do texto Aa Aa

Segundo e último dia da cimeira do G8 em França, fortemente centrada nas revoltas no mundo árabe.

O projeto da declaração final que deverá ser adotada hoje estipula que o líder líbio Muammar Kadhafi “perdeu toda a legitimidade” e “deve partir”.

Barack Obama garantiu que a França e os Estados Unidos estão determinados a “concluir o trabalho” na Líbia.

Os dirigentes das grandes potências ameaçam a Síria com “uma ação no Conselho de Segurança” da ONU e condenam a violência no Iémen, apelando a uma “transição pacífica e ordeira”.

Depois de um encontro bilateral com o homólogo francês, o presidente norte-americano disse que é discutida “não só a forma como apoiar a transição para a democracia em países como o Egito e a Tunísia, mas também em como acompanhá-la com um crescimento económico”.

As potências do G8 estão dispostas a fornecer uma ajuda financeira aos países árabes que se encaminham na via da democracia, anunciando já mais de 20 mil milhões de euros para o Egito e a Tunísia, para o período 2011-2013.

José Miguel Sardo, euronews: “Ao manifestarem o seu apoio à chamada ‘primavera árabe’ e, em particular, ao processo democrático no Egito e na Tunísia, os países do G8 querem também assegurar que vão manter a sua influência no Norte de África e no Médio Oriente. Mas será mais difícil alcançar uma posição comum sobre a situação na Líbia e na Síria. A Rússia, por exemplo, teria já rejeitado apoiar novas sanções contra o regime de Bashar Al-Assad.”