Última hora

Última hora

"Plano Marshall" para a "Primavera Árabe"

Em leitura:

"Plano Marshall" para a "Primavera Árabe"

Tamanho do texto Aa Aa

A “Primavera Árabe” dominou a cimeira do G8. Os primeiros-ministros do Egito e da Tunísia foram os convidados em destaque no encontro que decorreu esta quinta e sexta na cidade francesa de Deauville.

O anunciado pacote de 40 mil milhões de dólares para os países onde se assiste a reformas democráticas serve de mensagem às nações onde reina a repressão.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, prometeu que irá com o ministro dos Negócios Estrangeiros a Bengasi – o bastião da revolta na Líbia. Não avançou a data mas garantiu que será uma visita de trabalho para encontrar os que querem construir um país democrático.

Pela primeira vez, a Rússia subscreveu o apelo para que Muammar Kadhafi deixe o poder e até se ofereceu para mediar o conflito líbio. Mas o G8 instou, também, as autoridades sírias e iemenitas a “cessarem imediatamente o uso da força contra o povo”.

“O Egito e a Tunísia tornam-se, assim, nos primeiros membros da já chamada ‘parceria de Deauville’. Uma iniciativa do G8 para apoiar a transição democrática no Médio Oriente e no norte de África. Resta saber qual será o próximo país a integrar esta parceria”, conclui o enviado especial da euronews à cimeira, José Miguel Sardo.