Última hora

Última hora

"Primavera árabe" domina cimeira do G8

Em leitura:

"Primavera árabe" domina cimeira do G8

Tamanho do texto Aa Aa

Os países do G8 propõem um pacote financeiro de 40 mil milhões de dólares para apoiar “a primavera árabe”. Até ao início de Julho será especificada a natureza da ajuda e o montante de participação de cada país e bancos multilaterais. A França vai contribuir com mil milhões, avançou já Nicolas Sarkozy.

Os representantes das oito nações mais industrializadas do mundo condenaram, também, as “graves violações dos direitos humanos” na Síria e instaram as autoridades a “cessarem imediatamente o uso da força contra o povo”.

O presidente francês disse que “a situação na Síria é inaceitável” e que “o comportamento do governo é chocante”. Por isso, acrescentou, “a declaração final do G8 é clara e condena a atuação do poder sírio relativamente a manifestantes pacíficos.”

Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão, Reino Unido e Rússia reafirmaram ainda que o líder líbio, Muammar Kadhafi deve abandonar o poder. Moscovo terá o papel de mediação com Trípoli.

Por outro lado, o G8 condenou o uso da força pelas autoridades iemenitas contra os manifestantes e apelaram ao presidente Ali Abdalah Saleh para “respeitar os seus compromissos e garantir as legítimas aspirações do povo.”

O grupo subscreveu, ainda, a visão de paz do presidente norte-americano para o Médio Oriente, expressa a 19 de maio. Barack Obama tinha-se pronunciado a favor de um Estado palestiniano baseado nas fronteiras de 1967. Na declaração final, pode ler-se: “Agora é o momento para retomar o processo de paz, baseado nas aspirações do povo palestiniano para um Estado soberano e viável e dos israelitas para a segurança regional”.