Última hora

Última hora

Rio-Paris: caixas negras apontam para avaria das sondas Pitot

Em leitura:

Rio-Paris: caixas negras apontam para avaria das sondas Pitot

Tamanho do texto Aa Aa

Uma avaria nos sensores de velocidade parece ter estado na origem da queda do avião da Air France no Oceano Atlântico, há dois anos. É o que revelam os primeiros resultados da leitura das caixas negras, divulgados esta sexta-feira.

De acordo com o órgão responsável pelas investigações, os pilotos reagiram com profissionalismo mas o painel de controlo do avião mostrou diferentes velocidades em menos de um minuto. Pouco antes de se despenhar no oceano, um dos pilotos disse “não ter nenhuma indicação válida”.

Algo que confirma as primeiras suspeitas de uma avaria das sondas Pitot, os detetores de velocidade.

As caixas negras revelaram, ainda, que os dois copilotos tentaram controlar o avião e que o comandante não estava no cockpit no início dos problemas, tendo chegado depois.

A queda demorou três minutos e meio. O voo 447 fazia a ligação Rio de Janeiro – Paris. Despenhou-se a 1 de junho de 2009, vitimando todas as 228 pessoas a bordo. As duas caixas negras só foram encontradas no início deste mês.

A fabricante Airbus e a companhia Air France foram formalmente acusadas de homicídio involuntário em março deste ano.