Última hora

Última hora

Pepinos espanhóis fora de causa mas surto de colibacilo continua por explicar

Em leitura:

Pepinos espanhóis fora de causa mas surto de colibacilo continua por explicar

Tamanho do texto Aa Aa

Afinal, os pepinos espanhóis talvez não sejam os culpados pelo surto de colibacilo que já matou 16 pessoas na Alemanha e na Suécia e infetou mais de mil e 400.

Segundo Cornelia Prüfer-Storcks, a ministra da Saúde de Hamburgo, duas das três análises efetuadas provam que a variante 0104, encontrada nas fezes dos pacientes, não corresponde à que foi detetada nos pepinos espanhóis, vendidos no mercado daquela cidade alemã.

Mas, para a ministra espanhola da Agricultura, estas declarações não chegam. “A Alemanha deve fornecer a informação necessária para que toda a União Europeia saiba de onde vem o problema”, exige Rosa Aguilar.

O caso deu origem uma batalha diplomática, no seio dos Vinte e Sete. À margem do conselho de ministros da Agricultura da União, a ministra belga solidarizou-se com a homóloga espanhola. Sabine Larelle exige que a verdadeira origem da infeção seja rapidamente identificada pela Alemanha, a quem acusou de “irresponsável” nas acusações aos pepinos espanhóis.

Acusações que provocaram, por parte de vários países, a anulação das importações de pepinos e outros produtos hortofrutícolas espanhóis. Um bloqueio que provoca perdas da ordem dos 200 milhões de euros por semana e está a pôr em risco 70 mil empregos no setor.