Última hora

Última hora

Nacionalismo sérvio à flor da pele com extradição de Mladic

Em leitura:

Nacionalismo sérvio à flor da pele com extradição de Mladic

Tamanho do texto Aa Aa

A notícia da extradição de Ratko Mladic para a Holanda dominou as manchetes sérvias e provocou muita emoção junto da população de Belgrado.

Acusado de genocídio pelo Tribunal Penal Internacional para a ex-Jugoslávia, o antigo chefe militar dos sérvios da Bósnia continua, contudo, a ser um herói para muitos sérvios.

“O mais triste é que se trata de um homem doente, meio paralisado… E em vez de receber cuidados médicos vai acabar… provavelmente vai acabar como Milosevic”, lamenta Nikola Tintev, residente em Belgrado.

“Se não fosse Mladic e Srebrenica, hoje não haveria uma república sérvia na Bósnia e quem sabe onde estariam as fronteiras”, afirma Goran Miljevic, outro habitante da capital sérvia.

Daniela Topalovic, por seu lado, considera que “não faz qualquer sentido. Venderam o nosso país por meia dúzia de tostões e não receberam nada em troca.”

Reações populares que mostram bem que, mesmo mais de uma década depois do fim da guerra, o nacionalismo sérvio continua à flor da pele, nos Balcãs.