Última hora

Última hora

Muçulmanos bósnios recordam vítimas da guerra

Em leitura:

Muçulmanos bósnios recordam vítimas da guerra

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de dois mil muçulmanos bósnios recordaram as 1533 pessoas mortas em Zvornik, no leste da Bósnia, durante a guerra entre 1992 e 1995.

Durante a cerimónia procedeu-se ao funeral coletivo de sete homens e uma mulher cujos cadáveres foram recentemente identificados.

“Sei que Mladic não matou pessoalmente o meu irmão, mas ele foi morto pela sua política, pelo seu regime, pelos seus homens que acabaram com a vida de muitos jovens”, disse Mevludin Hasonovic, cujo irmão tinha 22 anos quando foi assassinado.

“Uma mãe é sempre mãe, e todos temos de morrer. Se ela tivesse morrido de causas naturais, mas ela foi assassinada. Que podemos fazer? Não podemos escapar ao destino. Temos de viver, mas não é fácil”, lamenta-se Ramiza Omerovic. A mãe tinha 74 anos.

Em Zvornik, 580 pessoas continuam desaparecidas desde a guerra de 92-95.