Última hora

Última hora

Abstenção em alta nas eleições portuguesas

Em leitura:

Abstenção em alta nas eleições portuguesas

Tamanho do texto Aa Aa

Os portugueses votam mas não em força. A taxa de participação ao meio dia nas legislativas antecipadas era apenas de 20%, ou seja menos do em 2009.

E também ao contrário desse escrutínio, será o Partido Social Democrata de Pedro Passos Coelho a triunfar. Estima-se que haverá uma coligação com Partido Popular. Passos Coelho votou na Amadora.

O Partido socialista do primeiro-ministro cessante, José Sócrates, deverá ficar no segundo lugar. Sócrates votou em Lisboa. O chefe de governo demitiu-se do cargo depois do parlamento não ter aprovado o quarto plano de austeridade em menos de um ano.

Como não podia deixar de ser, a crise económica dominou a campanha eleitoral. Em recessão, Portugal está sobre-endividado e a taxa de desemprego é de mais de 11 %.

É nesse cenário e com um rigoroso plano de ajuda externa que o próximo governo vai assumir as rédeas do país.

Daí o Presidente da República ter destacado a importância desta eleição aos cerca de 9 milhões e meio de eleitores que decidem também a composição dos 230 assentos da Assembleia da República.