Última hora

Última hora

E.coli: Críticas e propostas no Parlamento Europeu

Em leitura:

E.coli: Críticas e propostas no Parlamento Europeu

Tamanho do texto Aa Aa

A chamada “crise do pepino” transpôs as portas do Parlamento Europeu. Munido com a arma da polémica, o eurodeputado espanhol Francisco Sosa Wagner propôs restituir a “honra perdida dos produtores”.

O momento cómico de um debate quente, esta terça-feira, em que a Comissão Europeia pediu à Alemanha para não lançar mais alertas sem provas.

A falta de provas que provoca indignação nos eurodeputados espanhóis, sem papas na língua na hora de criticar a gestão da crise.

“Houve uma grande falta de coordenação e a Comissão Europeia não esteve à altura. É preciso dizer que a Comissão fez eco das declarações irresponsáveis de uma ministra alemã sem experiência, acabada de chegar ao cargo, e que se pronunciou sem refletir. A Comissão Europeia fez eco das declarações sem comprovar o que quer que fosse”, acusou a eurodeputada espanhola Esther Herranz García.

Os eurodeputados alemães, por outro lado, preferem deixar de parte o lado económico e destacar a perda de vidas humanas. Alguns aproveitam mesmo para criticar o modelo produtivo europeu, como é o caso de Sabine Wils: “Penso que o principal problema é a falha sistémica na produção alimentar. Porque no mercado interno da União Europeia temos muita produção industrial e a prioridade é o lucro em vez da proteção da saúde dos consumidores.”

O executivo comunitário enviou uma equipa de especialistas em saúde pública para ajudar as autoridades alemãs a identificar a origem do surto de infeções e travar o contágio.