Última hora

Última hora

Conselho de Segurança deve analisar situação da Síria

Em leitura:

Conselho de Segurança deve analisar situação da Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A Turquia quer que o Conselho de Segurança da ONU analise o comportamento das autoridades Sírias, na repressão aos protestos.

O Primeiro-Ministro turco acusa Bashar al-Assad de “atrocidade” e de comportamento “desumano”, na forma como tem reagido às manifestações.

A fronteira comum continua a ser atravessada por sírios que fogem à guerra.

Tayyip Erdogan acusa o irmão do presidente de autoria moral dos massacres:

“Digo-vos claramente que o seu irmão, Mahir Assad, não reage humanamente. Prefere o massacre. É assunto para o Conselho de Segurança da ONU e o Conselho trabalha já nesse sentido. Depois de tudo isto, a Turquia não pode defender mais a Síria”

Pelos menos 3000 mil refugiados já passaram a fronteira e vivem agora num campo, em Hataya.

Tayyip Erdogan e Bashar al-Assad falaram, pelo telefone, no princípio da semana, mas a conversa parece não ter corrido bem.

Assad “substimou” a questão, como disse Erdogan, que considerou “inaceitável” a forma como Damasco tem reprimido os manifestantes.

Disse também que a Turquia “não pode fechar as portas a esta gente só quer defender as suas vidas”.

Mas admitiu que o problema se está agravar, para a própria Turquia.

Mas a repressão governamental não desmobiliza os protestos. Os activistas sírios afirmam que os militares mataram pelo menos 21 pessoas esta sexta-feira.