Última hora

Última hora

Turquia a dois dias das eleições

Em leitura:

Turquia a dois dias das eleições

Tamanho do texto Aa Aa

No domingo, os turcos vão às urnas, para fechar uma campanha intensa.
 
Podem subsistir dúvidas sobre a dimensão da vitória. Mas poucos duvidam de que o actual primeiro-ministro, Tayyip Erdogan e o seu Partido da Justiça e do Desenvolvimento serão os vencedores.
 
Ele próprio diz que não tem dúvidas: vão obter a terceira maioria absoluta consecutiva.
 
O lider do Partido do Povo Republicano dramatiza a questão. Kemal Kilctaroglu diz que Erdogan “é um perigoso islamista de tendência autocrática”.
 
Diz mais: se ele ganhar com uma maioria de dois terços vai rever a Constituição, reforçando as competências do Presidente da República, para mais tarde se candidatar à chefia do Estado.
 
Nas ruas, as opiniões dividem-se. Há quem goste:
 
“O governo pôs o país na ordem com firmeza e estou satisfeito com esse trabalho”.
 
E há também quem critique:
 
“A atuação do governo não se coaduna com o meu estilo de vida e os turcos estão cada vez mais falsos. Não me sinto muito confortável com o caminho que as coisas estão a levar”.
 
Mas há outros descontentamentos.
 
O site oficial do governo sofreu um ciberataque, do grupo Anonymous.
 
O grupo protesta contra o bloqueio de alguns sites.
 
As autoridades acusam, concretamente o Google e o Youtub de ataque às instituições nacionais, concretamente, ao fundador da Turquia moderna, Ataturk. E ainda de fuga fiscal.
 
Por essa razão, bloquearam estes sites.
 
O Presidente da República já criticou esta decisâo do governo.