Última hora

Última hora

Mais de 10.000 sírios junto à fronteira com a Turquia

Em leitura:

Mais de 10.000 sírios junto à fronteira com a Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

O êxodo para a Turquia provocado pela violenta repressão na Síria está a assumir proporções maciças e multiplicam-se os relatos de horrores cometidos pelo regime de Bashar al-Assad.

Uma equipa de televisão turca conseguiu passar a fronteira e ir ao encontro de grupos de sírios que esperam a oportunidade para fazer o trajeto inverso.

Entre os que tentam fugir, encontram-se desertores do exército sírio, que falam de abusos por parte das unidades que integravam e do medo imposto pelos superiores.

Um soldado que decidiu desertar explica que serviu “durante cinco meses”. Disseram-lhe que havia “gangues terroristas”, mas nas ruas de Deraa e nos arredores de Damasco só viu “mulheres, crianças e idosos a cantar pela liberdade”.

Garante que os soldados receberam ordens para disparar, não só do governo, mas de “iranianos e membros do Hezbollah e quem não obedecia era alvejado nas costas”.

Segundo ativistas sírios e defensores dos direitos humanos, mais de 10 mil pessoas acumulam-se junto à fronteira, na esperança de passar para a Turquia.

Uma mulher explica que fugiu dos tiros na cidade de Jisr al-Shougour, a 40 quilómetros de distância, “descalça, sem comida ou água e sem ter tempo para fazer malas”.

A poucos quilómetros, no território turco, três campos de refugiados estabelecidos na província de Hatay acolhem já cerca de 4300 pessoas.

Os Estados Unidos acusam o regime sírio de criar uma crise humanitária e exigem o fim imediato da repressão contra a população civil.