Última hora

Última hora

Bélgica: Protesto leva à detenção de elementos da extrema-direita flamenga

Em leitura:

Bélgica: Protesto leva à detenção de elementos da extrema-direita flamenga

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia belga deteve vários elementos do partido flamengo de extrema-direita Vlaams Belang, durante uma ação de protesto.

Apoiado por vários manifestantes, o grupo rebatizou de “rua da independência flamenga” a artéria onde fica a sede do Governo e do Parlamento belga, em Bruxelas.

A polícia acabou por algemar, para identificação, várias figuras de destaque da formação separatista.

“Depois de um ano de negociações sem quaisquer resultados, penso que está claro que devia haver uma alternativa. Essa alternativa é a independência da Flandres e da Valónia. Precisamos de uma república flamenga porque da maneira que as coisas estão não faz sentido”, denuncia Philip Dewinter, líder do partido Vlaams Belang.

Esta segunda-feira, os belgas assinalaram um ano sem Governo, resultado do falhanço das sucessivas rondas negociais entre os separatistas flamengos e os socialistas francófonos. Uma data ideal para protestar contra o impasse político e reclamar a independência da Flandres.

A 13 de Junho de 2010, os separatistas da Nova Aliança Flamenga, partido liderado por Bart de Wever, venceram as eleições na Flandres. O PS francófono alcançou a maioria na Valónia.

O resultado das legislativas colocou as duas forças reféns de um acordo de Governação, que volvido um ano continua por assinar. Atualmente, é o socialista francófono Elio di Rupo o mandatado pelo Rei Alberto II para formar Governo.

Sem avanços, a convocação de novas eleições poderá ser equacionada devido à pressão dos mercados financeiros.