Última hora

Última hora

A caça ao homem na Síria

Em leitura:

A caça ao homem na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A aldeia síria de Harapjavz, a poucos quilómetros da fronteira com a Turquia, está praticamente deserta.

Um retrato da caça ao homem como conta o enviado especial da Euronews.

“Esta aldeia que vemos atrás de mim na fronteira síria foi bombardeada pelo exército de Bashar al-Assad durante a noite. Por isso, as pessoas foram obrigadas a fugir” afirma Mustafa Bag.

Os habitantes partiram para a localidade síria de Jenudi. O objetivo é chegar à Turquia, a única forma de escapar à repressão. A população garante que em curso está uma operação de limpeza:

“Os militares chegaram e não pouparam ninguém.

Atiraram sobre mulheres, crianças e todos os que encontraram pela frente, até mesmo animais” afirma um jovem.

Esta quinta-feira, as tropas de Bashar al-Assad reforçaram posições em Maarat al-Numaan e em Kahn Sheikhoun, no norte do país.

À medida que os militares avançam no terreno, aumenta o desespero. Famílias inteiras foram obrigadas a deixar tudo para trás:

“Fugimos da morte. Partimos com toda a família e com o nosso filho que é deficiente” refere um homem.

“Depois de partir disseram-nos para regressar porque estava tudo bem. Ontem voltámos, mas havia tiros por todo o lado. Por isso, decidimos seguir me direção a El Breire. Dormimos no chão porque não levámos nada connosco. As crianças choraram toda a noite. Temos medo de tudo: dos animais selvagens, dos bombardeamentos, de tudo” afirma uma mulher.

Fontes locais garantem que 100.000 sírios se preparam para abandonar a Síria em direção à Turquia. Isto numa altura em que os campos de refugiados do outro lado da fronteira estão lotados.