Última hora

Última hora

Strauss-Kahn alegou imunidade diplomática quando foi detido

Em leitura:

Strauss-Kahn alegou imunidade diplomática quando foi detido

Tamanho do texto Aa Aa

Dominique Strauss-Kahn, o ex-diretor do Fundo Monetário Internacional, alegou imunidade diplomática quando foi detido no aeroporto Kennedy, em Nova Iorque, no dia 14 de Maio.

De acordo com documentos apresentados ontem em tribunal Strauss-Kahn alegou imunidade diplomática, mas mais tarde esclareceu que não iria invocá-la.

O ex-diretor do FMI, saiu em liberdade após ter pago um milhão de dólares de caução, e está em prisão domiciliária, em Nova Iorque, enquanto aguarda julgamento.

Strauss-Kahn é acusado de abuso sexual, tentativa de violação e sequestro de uma empregada do hotel onde estava hospedado antes de ser preso.

Este processo pôs fim à sua carreira no FMI e à possibilidade de disputar as presidenciais em França, em 2012, onde era apontado como um dos mais fortes candidatos para suceder a Nicolas Sarkozy.