Última hora

Última hora

Refugiados sírios na Turquia impedidos de falar aos jornalistas

Em leitura:

Refugiados sírios na Turquia impedidos de falar aos jornalistas

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades turcas permitiram pela primeira vez a entrada de jornalistas num dos quatro campos de refugiados sírios, junto à fronteira do país.

Uma visita limitada a alguns meios de comunicação, proibidos de filmar o interior da instalação do crescente vermelho turco, que alberga mais de três mil pessoas.

O enviado especial da Euronews, impedido como os restantes jornalistas, de entrevistar os refugiados, pôde captar estas imagens com uma câmara oculta.

As autoridades turcas justificam as restrições com a necessidade de preservar a segurança dos refugiados.

Carol Batchelor, a responsável do alto comissariado da ONU para os refugiados na Turquia, ofereceu o apoio da organização para gerir a situação. “Até agora as autoridades turcas conseguiram lidar com esta crise, mas estamos prontos a colaborar caso o afluxo de refugiados continue aumentar”.

Mais de 421 pessoas terão cruzado a fronteira nas últimas 24 horas, para escapar à repressão do regime sírio.

No total mais de 10 mil pessoas procuraram refúgio na Turquia nos últimos dias, depois do exército ter alegadamente lançado uma operação de represálias em várias povoações fronteiriças.

O enviado especial da Euronews, Mustafa Bag, conclui: “Estamos no campo de refugiados de Boynuyogun, nos arredores da cidade de Altinozi. Uma instalação do crescente vermelho turco que alberga cerca de 3500 pessoas distribuídas por cerca de 600 tendas”.