Última hora

Última hora

O equilíbrio da zona Euro suspenso nas decisões do parlamento grego

Em leitura:

O equilíbrio da zona Euro suspenso nas decisões do parlamento grego

Tamanho do texto Aa Aa

O plano de resgate à Grécia deverá incluir uma ajuda suplementar de até 120 mil milhões de euros, comparticipados pelo fundo de estabilização da zona euro, por privados e pelas privatizações gregas.

A informação foi avançada por fontes diplomáticas, depois dos ministros das Finanças da zona Euro, reunidos no Luxemburgo, terem decidido adiar a decisão de aprovar a quinta tranche de ajuda de 12 mil milhões de euros, pelo menos até à próxima reunião do Eurogrupo a 3 de Julho.

O futuro da economia da Grécia está agora na capacidade do primeiro-ministro em ultrapassar o voto de confiança no parlamento, agendado para terça-feira, que deverá abrir caminho à votação de novas medidas de austeridade até Julho.

O ministro das finanças irlandês, Michael Noonan, afirma que, “os acordos obtidos vão ter de ser ratificados pelo parlamento grego. É um processo normal que não dever ser adiado, para que possamos resolver a situação no início de Junho”.

O primeiro-ministro grego deslocou-se hoje a Bruxelas para garantir que o país vai respeitar as reformas para sanear as contas públicas.

Os ministros das finanças decidiram também elevar para 790 mil milhões de euros, o fundo de estabilização financeira da zona euro, cujas obrigações co-financiam a Grécia, Portugal e Irlanda. Uma forma de recuperar a confiança dos mercados e evitar o contágio da situação grega a outros países europeus.

A enviada da Euronews ao Luxemburgo, Margarita Sforza, afirma que “a pressão está agora nas mãos do governo grego para evitar o contágio a outros países europeus. Mas os ministros das finanças parecem não ter um plano B de medidas alternativas necessárias caso o governo grego não seja capaz de respeitar os compromissos com a troika”.