Última hora

Última hora

China: Libertado dissidente Hu Jia

Em leitura:

China: Libertado dissidente Hu Jia

Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades chinesas libertaram às primeiras horas de domingo Hu Jia, um dos mais famosos dissidentes e ativistas dos direitos humanos do país.

Acusado de subversão, Hu Jia cumpriu três anos e meio de prisão e após a sua libertação não pode prestar declarações nem sair de Pequim.

A organização Human Rights Watch está preocupada coma situação:

“As autoridades já tinham dito à mulher que ele não regressaria à plena liberdade. Isso leva-nos a ficar preocupados com a possibilidade de ele regressar à situação em que estava antes de ser preso, ou seja, prisão domiciliária indefinida”, disse um analista da organização.

A libertação de Hu Jia foi precedida da libertação de Ai Weiwei, um artista vanguardista crítico do regime, detido a 3 de abril em Pequim, quando tentava embarcar para Hong Kong.

Ai Weiwei, que também não pode prestar declarações, é um um dos dissidentes mais conhecidos no estrangeiro.

A libertação dos dois dissidentes ocorre numa altura em que o primeiro-ministro chinês Wen Jiabao faz um périplo por três países europeus – Hungria, Reino Unido e Alemanha – e em que, segundo observadores, a China teme levantamentos populares como os verificados no mundo árabe.