Última hora

Última hora

Um matrimónio "pouco" mediático

Em leitura:

Um matrimónio "pouco" mediático

Tamanho do texto Aa Aa

O casamento de Alberto II do Mónaco e de Charlene Wittstock está longe de suscitar um grande entusiasmo além do principado e dos países vizinhos. O problema é que as cerimónias que se desenrolam a partir da próxima sexta-feira são demasiado próximas do matrimónio do príncipe William e de Kate Middleton. Ainda assim foram concedidas mais de 1.100 acreditações a meios de comunicação social de 25 países.

As comparações estendem-se também a tempos passados, como explica a editora da revista francesa Point de Vue, Colombe Pringle:

“Tenho a certeza que Charlene viu todas as fotografias de Grace. E tenho a certeza, mesmo se Alberto não tem consciência disso, que há ali qualquer coisa a ver com o louro, com uma forma de elegância… mas Charlene é muito mais forte. Eu não vejo nela nada da Grace Kelly porque Grace é única.”

O casamento de Rainier III do Mónaco com a estrela de Hollywood, em 1956, foi algo inédito na história da televisão. O matrimónio religioso foi visto por trinta milhões de espetadores europeus em nove países e mobilizou 1.800 jornalistas, números incríveis para a época.