Última hora

Última hora

Roménia relembra massacre de Iasi

Em leitura:

Roménia relembra massacre de Iasi

Tamanho do texto Aa Aa

A Roménia assinala, esta semana, o massacre de Iasi. Foi há 70 anos que o marechal Ion Antonescu ordenou a “limpeza” dos judeus desta cidade do leste do país.

De 28 de junho a 6 de julho de 1941, morreram entre 13 mil e 15 mil judeus, naquele que foi descrito pelos historiadores como um dos piores massacres do Holocausto.

A cidade de Iasi contava com uma comunidade judaica de 45 mil judeus antes de ser lançada a perseguição, sustentada por rumores de que os judeus apoiavam as forças soviéticas.

Oito mil pessoas foram brutalmente assassinadas, ainda, na cidade. Milhares embarcaram nos “comboios da morte”. Um dos sobreviventes do massacre descreve os comboios como um “Inferno de Dante”, onde a maior parte das pessoas morria à fome e à sede, antes de chegar aos destinos.

Entre 280 mil e 380 mil judeus romenos e ucranianos foram mortos durante o Holocausto na Roménia e nos territórios sob o controlo do país.

Em 1946, 57 pessoas foram julgadas pelo massacre de Iasi. Cerca de 20 foram condenados a prisão perpétua por crimes de guerra, outras a penas de vinte anos de cadeia e algumas foram absolvidas. Poucas completaram a sentença.