Última hora

Última hora

Partido Comunista Chinês festeja 90 anos

Em leitura:

Partido Comunista Chinês festeja 90 anos

Tamanho do texto Aa Aa

O Partido comunista chinês, no poder desde 1949, celebra 90 anos. Fundado em 1921 em Xangai por uma dúzia de intelectuais, incluindo Mao Tsé Tung, o Partido conquistou o poder depois de duas guerras fratricidas com os nacionalistas do Kuomintang (Partido Nacionalista do Povo, liderado por Chiang Kai-shek.

Esta é a reconstituição de uma dessas batalhas, em 1947.

Os maoístas encontraram em Yanan, na província de Shaanxi uma base de operações durante a Longa Marcha (de outubro de 1934 a outubro de 1935), que foi o grande épico do movimento maoísta. Combatendo ao mesmo tempo em que se retirava, o Exército Vermelho conseguiu romper quatro linhas de cerco que os nacionalistas tinham construido para os impedi-los de fugir.

A cidade é agora local de peregrinação revolucionária.

Mao Guangrong nasceu no mesmo ano que o Partido Comunista Chinês, há 90 anos, e participou na batalha de Yanan ao lado dos comunistas, e assume com orgulho:

“- Quando se compara o presente e o passado, a dificuldade daqueles tempos e o conforto que temos agora, claro que estou contente. Olhem-me para mim, apesar de ter lutado tanto durante aqueles anos, estou vivo aos 90”.

O Partido Comunista também goza de boa saúde aos 90. A adesão faz-se aos 7 anos nos Jovens Pioneiros. Mais tarde, aos 14 anos, os pioneiros passam a Jovens Comunistas antes de serem mesmo de direito e de facto do partido, que é a maior organização política do mundo, com mais de 80 milhões de filiados.

A entrada no partido comunista é considerada um privilégio que abre o acesso aos melhores empregos na administração ou nas empresas do Estado.

Yanan, como boa parte da China, sofreu as transformações de 30 anos de reformas, tem dois milhões de habitantes e grandes centros comerciais…

Mas esta é também uma China de injustiças e da corrupção dos dirigentes, impulsionada por um crescimento galopante sem controlo democrático. Todos os dias, as vítimas de expropriações ilegais ou de contaminação industrial vêm a Pequim exigir indemnizações.