Última hora

Última hora

Violência no Egito

Em leitura:

Violência no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

Confrontos entre manifestantes e a polícia, no Cairo, fizeram mais de mil feridos, esta quarta-feira.

Os manifestantes exigiam mais rapidez na aplicação das reformas políticas e ainda uma redução dos poderes dos militares.

Entre os feridos, contam-se mais de 40 agentes policiais.

Um manifestantediz que foram usados gazes proibidos:

“Nós estávamos aqui, sem segurança da polícia e, quando voltámos para trás, eles já cá estavam. Não deviam tratar os manifestantes assim, com gazes que são proibidos internacionalmente”.

As primeiras manifestações aconteceram na noite de terça-feira, no centro da cidade. Vinte e quatro horas depois, centenas de jovens concentraram-se num bairro periférico e acamparam.

Foi aqui que os confrontos subiram de tom.

Os Estados Unidos já reagiram, através do subsecretário de Estado para os Assuntos Políticos:

“Esperamos que a investigação que foi anunicada seja mesmo feita, assim como a transição política que deve correr de uma forma calma”.

Uma calma que, por enuanto, não se vê no Cairo.

Foram os mais graves incidentes, no Egito, desde a queda do regime de Hosni Mubarack.