Última hora

Última hora

Mónaco: O segredo do banquete

Em leitura:

Mónaco: O segredo do banquete

Tamanho do texto Aa Aa

O casamento do Príncipe Alberto e Charlene Wittstock é o maior acontecimento desde a boda do Príncipe Rainier e Grace Kelly, há mais de meio século.

Nada está a ser deixado ao acaso, todos os pormenores contam. A ementa é a principal prioridade.

A confeção do jantar de dia 2 de julho, ficou ao cargo do “Chef” Alain Ducasse.

Para o “chef” a qualidade dos produtos é essencial.

“Vamos ter os melhores produtos, um tempo sublime, peixe magnífico e saboroso. Tentaremos fazer uma proposta justa ou simplesmente magnífica,” adianta.

Ducasse, reconhecido com 20 estrelas do Guia Michelin, contará com a ajuda de 350 pessoas para confecionar o banquete.

Apesar do secretismo, o “chef” desvendou que os noivos quiseram dar destaque à cozinha mediterrânea e selecionaram alguns produtos da região.

“O que vamos comer? Ainda não sei… Começamos a pescar esta manhã até depois do meio-dia de sábado – O que pescarmos será o que vamos usar. O mesmo vale para os legumes,” confirma Alain Ducasse.

O banquete da boda, para quase 500 convidados, vai ser servido no terraço da Casa da Ópera Garnier e vai ser preparado nas cozinhas de Luís XV no Hotel de Paris.

“Enquanto Alain Ducasse mantém o silêncio em relação aos detalhes… Sabemos já que o peixe vai ser pescado localmente, que os vegetais são provenientes jardim do Príncipe e que, em honra de Charlene Wittstock, o vinho virá da África do Sul.”