Última hora

Última hora

Líbano: Hezbollah protege suspeitos da morte de Hariri

Em leitura:

Líbano: Hezbollah protege suspeitos da morte de Hariri

Tamanho do texto Aa Aa

O Hezbollah recusa entregar à justiça internacional os quatro membros do movimento, acusados do assassínio do antigo presidente libanês Rafic Hariri.

O líder do movimento xiita rejeitou ontem qualquer responsabilidade no atentado de 2005 que vitimou o chefe de Estado, em Beirute, tendo acusado o Tribunal Especial para o Líbano (TSL), de ser manipulado pelos serviços secretos ocidentais.

Entre os 4 indivíduos acusados pelo tribunal da ONU encontra-se o atual chefe militar do movimento.

O líder do Hezbollah, Hassan Nasrallah, afirmou rejeitar “todas as falsas acusações e falsos julgamentos, não vamos deixar que arrastem o Líbano para uma nova guerra civil”.

O TSL tinha emitido na quinta-feira quatro mandados de captura dirigidos aos membros do Hezbollah, dando um prazo de 30 dias a Beirute para deter os suspeitos.

A recusa do Hezbollah em colaborar com a justiça internacional coloca o governo libanês entre a espada e a parede. Alguns analistas temem o corte das ajudas militares de Washinton ao Líbano.