Última hora

Última hora

Festival de pintura do corpo

Em leitura:

Festival de pintura do corpo

Tamanho do texto Aa Aa

O Festival Mundial de Pintura do Corpo de 2011terminou no domingo, na cidade austríaca de Portschac.

Os participantes, vindo de 40 países, mostraram as suas artes a quase 30 mil visitantes, junto ao Lago de Wörthersee.

Com mais de 10 edições, este ano bateu todos os recordes de afluência.

Nadja Hluchovsky, uma artista alemão confessa o que lhe custa mais:

“O que me impressiona, realmente, é o facto de eu ser pintora de qualquer coisa que não podia ser mais difícil de executar. Ela vai-se embora e lava, deita fora tudo o que eu pintei. Mas é um gosto de vida. A outra coisa que eu amo realmente é que é um exame vivo. Aquilo é algo completamente diferente. Move-se a toda a volta. Funciona de uma maneira diferente – tem de ser pintado de uma maneira muito diferente”.

Bodypainting é um fórmula da arte moderna, com raizes históricas, que reune artistas das artes plásticas, das artes cénicas e da fotografia.

O artista americano Brian Wolfe, diz que a pintura do corpo permite uma interação com sua arte-final:

“O corpo, o corpo humano…não há nada de mais interessante. Eu aprecio o rosto humano – que é o que eu faço, na maior parte das vezes. É a parte mais interessante do corpo e quando se está a fazer uma arte-final, isso é um exame que só se vê na comparação. Não se pode fazer a avaliação como se fosse um bocado de madeira lisa. E faço muitos amigos, com as minhas pinturas”.

Esta modalidade de pintura não se resume simplesmente a um corpo. É preciso criar um cenário inteiro, com uma coreografia e com música.

As artes-finais vivas foram escolhidas durante o festival. Diversas concessões surgiram, nas diferentes categorias, que incluem facepainting, com efeitos especiais.