Última hora

Última hora

Santana, Mclaughlin e Cliff em Montreux

Em leitura:

Santana, Mclaughlin e Cliff em Montreux

Tamanho do texto Aa Aa

O maior festival de Jazz da Europa teve, este ano, uma abertura de luxo: um concerto conjunto de duas estrelas mundiaas: Carlos Santana e John McLaughlin

Para assinalar os 45 anos do festival, a organização juntou Carlols Santana, um virtuoso da guitarra ccom um dos percursores do jazz-fusão.

Mc Laughlin, um homem que gostou sempre de boas companhias,desde David Bowie, aos Rolling Stones.

O Festival de Montreux merecia juntar estas duas figuras.

No final, houve mesmo tempo para uma homenagem a BB King, no Palco da Sala Stravinsky

O cantor, compositor e produtor da New Jack Swing, Raphael Saadiq também esteve presente, para apresentar, em Montreux, o seu mais recente álbum com o sugestivo título de Stone Rollin, editado já este ano.

Muitas vezes nomeada para os Grammy, Susan Tedeschi, foi outra presença de luxo. Uma maravilhosa compositora e intérprete de blues.

Faz parte da geração de músicos que soube misturar o “R and B” com o gospel, para produzir os mais impensáveis espectácuilos ao vivo.

Ainda a verdadeira legenda jamaicaina, Jimmy Cliff, que conheceu a notoriedade internacional como um dos fundadores do movimento reggae, abrindo-o à influência de outros géneros.

Finalmente, Charles Bradley juntou em perfeita simbiose o som rasgado das guitarras, com os teclados e os metais, para além da inconfundível secção rítmica.

Com ele se completou este cartaz de luxo.

Charles Bradley recuperou esta impressão de ouvir música intemporal. Sobre os vestígios de James Brown, Bradley reabilitou o verdadeiro soul.