Última hora

Última hora

Zona Euro confrontada com receios de contágio da crise à Itália

Em leitura:

Zona Euro confrontada com receios de contágio da crise à Itália

Tamanho do texto Aa Aa

Os receios de contágio da crise da dívida à Itália dominaram a reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, no dia em que os ministros das Finanças da zona euro assinaram o tratado que cria o Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira. Um fundo de resgate permanente para os países em dificuldades, que poderia não ser suficiente se a Itália necessitasse de ajuda.

A chanceler alemã, Angela Merkel, enviou um recado ao Governo italiano: “A Itália deve enviar um importante sinal que é a aprovação de um orçamento que responda às necessidades de poupança e consolidação. Tenho a confiança total de que o Governo italiano vai aprovar este tipo de orçamento.”

A Itália é a terceira maior economia da zona Euro. Mas tem uma dívida de 120 por cento do Produto Interno Bruto, a segunda maior a seguir à Grécia. Se a Itália cair, é toda a zona euro que fica ameaçada, avisa Daniel Gros, do Centro Europeu de Estudos Políticos (CEPS).

“No caso de um incumprimento italiano, a zona euro seria confrontada com duas questões: ou desenvolve totalmente novos tipos de ajuda ou vai colapsar. Claro que o colapso da zona euro seria uma catástrofe para a Europa – tanto para a Alemanha como para a Itália – mas, também, seria um choque negativo para a economia global”, explica Daniel Gros.

Um cenário que é, para já, afastado, constata o correspondente da euronews, em Bruxelas, Olaf Bruns. “Os cenários de catástrofe estão em cima da mesa. Mas, para já, na reunião do Eurogrupo, são chamados de “pura especulação”. E os rumores de que se deve aumentar o fundo de resgate são, para já, negados. Por enquanto…”.