Última hora

Última hora

EUA: Assad "perdeu a legitimidade"

Em leitura:

EUA: Assad "perdeu a legitimidade"

Tamanho do texto Aa Aa

Washington considera que o presidente sírio “perdeu a legitimidade”. A declaração foi feita pela secretária de Estado norte-americana, poucas horas depois da embaixada dos Estados Unidos em Damasco ter sido atacada por apoiantes de Bashar al-Assad.

Depois de um encontro com a chefe da diplomacia europeia, Hillary Clinton frisou que “se alguém – incluindo o presidente Assad – pensa que os Estados Unidos esperam, em segredo, que o regime saia da crise para continuar com a brutalidade e repressão, está enganado. O presidente sírio não é indispensável e [os Estados Unidos] não têm absolutamente nenhum interesse na sua manutenção no poder”.

Para além da representação norte-americana, também a embaixada francesa foi alvo da cólera de manifestantes em apoio ao regime sírio. Os protestos aconteceram depois das visitas dos embaixadores dos dois países à cidade rebelde de Hama. Um manifestante considera que “eles não têm o direito de meter-se nos assuntos sírios”.

As declarações de Clinton são as mais fortes contra o regime desde o início da repressão na Síria, há quatro meses. Até ao momento, os Estados Unidos abstiveram-se de pedir formalmente a saída de Assad.