Última hora

Última hora

Portugal quer mais flexibilidade na gestão do FEEF

Em leitura:

Portugal quer mais flexibilidade na gestão do FEEF

Tamanho do texto Aa Aa

O ministro das Finanças de Portugal defendeu, esta terça-feira, em Bruxelas, uma maior flexibilidade na gestão do Fundo Europeu de Estabilidade.

Perante os seus pares, Vitor Gaspar disse que Portugal deseja repor a estabilidade na zona Euro, como qualquer outro estado membro.

Para isso, é preciso agilizar as regras:

“Portugal tem também um interesse vital na estabilidade da área do Euro, como um todo. Desse ponto de vista, a abertura da possibilidade de usar regras mais flexíveis na gestão do Fundo Europeu de Estabilização Financeira é muito bem vinda e é, em meu entender, uma abordagem que serve a estabilidade financeira da área Euro, como um todo. Portanto, também por essa via, facilita o ajustamento português”.

O ministro francês apontou o caminho: um reforço da governação económica, incluindo a convergência fiscal.

Será assim que se restabelece a confiança dos mercados:

“O reforço da governança económica, a evolução para convergências mais integradas, quer seja em matéria fiscal, orçamental ou outros. As políticas de redução dos défices que são objectivos para a Grécia, Itália, Portugal, e Irlanda, mas também para todos os países da zona euro, deve afastar-nos desta tensão orçamental e deve pôr-nos em situação de ter também uma organização política decisora que será um elemento de restauração, a prazo, da confiança de mercados”.

A pressão financeira sobre os estados da zona Euro aumenta todos os dias, com efeitos recessivos, sobre a economia.

O efeito de contaminação ameaça mais estados.