Última hora

Última hora

Ações decisivas da UE tardam em chegar

Em leitura:

Ações decisivas da UE tardam em chegar

Tamanho do texto Aa Aa

Uma semana depois de ter reduzido a lixo o rating de Portugal, a agência de notação Moody’s fez o mesmo à Irlanda.

Segundo a agência de notação financeira, Dublin pode vir a necessitar de um novo resgate.

A Comissão Europeia já fez saber que discorda com a decisão da Moody’s, uma vez que a Irlanda respeita os objetivos estabelecidos no quadro do plano de ajuda da União Europeia e do FMI.

“Não se espera muito da cimeira dos ministros das Finanças da União Europeia, porque é necessário um abanão, uma solução com grandes medidas. Não estamos à espera que isso aconteça na cimeira, nesta altura”, sublinhou um “trader” da bolsa de Frankfurt.

A Itália – terceira economia da Europa – é outro dos países que teme o contágio da crise da dívida que agita os mercados.

Terça-feira Silvio Berlusconi tentou acalmar os receios. Num comunicado assegurava que o governo está “estável e sólido” e que trabalha com o objetivo de “atingir o equilíbrio orçamental em 2014”, graças ao plano de rigor adotado pelo executivo a 30 de Junho.

Em França o Parlamento aprovou um projeto de lei constitucional que prevê o equilíbrio das finanças públicas, adotando o mesmo texto aprovado pelo Senado na segunda-feira.