Última hora

Última hora

Ministro italiano: "Ou seguimos em frente ou afundamo-nos"

Em leitura:

Ministro italiano: "Ou seguimos em frente ou afundamo-nos"

Tamanho do texto Aa Aa

Esta quinta-feira foi o senado italiano. Na sexta-feira deve ser a Câmara dos Deputados a dar luz verde ao plano de austeridade que propõe cortar 79 mil milhões de euros.

A votação foi antecipada numa tentativa de evitar o contágio da crise da dívida soberana europeia à Itália.

O ministro italiano da Economia defendeu que este é um problema de toda a zona euro e não só de um ou outro país. “Atingimos um ponto de dilema e drama para a Europa e para o euro. Ou seguimos em frente ou afundamo-nos. Ninguém deve ter ilusões acerca de uma salvação individual. Tal como no Titanic, nem os passageiros da primeira classe se vão salvar”, afirmou Giulio Tremonti.

Na quinta-feira, a Itália teve de suportar os juros mais altos dos últimos três anos para conseguir colocar 1,25 mil milhões de euros de dívida a cinco anos. O país pagou uma taxa de 4,93%, mais de 1% em relação a junho.

O objetivo é reduzir o défice italiano para 3% em 2012 e para zero até 2014.

A Itália tem uma dívida pública superior a 120% do Produto Interno Bruto.