Última hora

Última hora

Itália aprova plano de austeridade

Em leitura:

Itália aprova plano de austeridade

Tamanho do texto Aa Aa

Pacote de austeridade aprovado em Itália, como era de prever

Trezentos e quatorze deputados voataram a favor, 280 contra e hove ainda duas abstenções.

No imediato, entre impostos e cortes na despesa, prevê-se um ganho de 48 mil milhões de euros, para as finanças públicas.

Até 2014, o plano deve atingir os 79 mil milhões

James Walston professor da Universidade Americana de Roma reconhece que são as classes mais desprotegidas, quem vai sofrer mais, com este plano de austeridade:

“Muitas pessoas estão a sofrer, particularmente as classe médias e as classes mais baixas, as classe trabalhadoras. As classes mais pobres. O que significa que haverá quase certamente protestos, mas eu penso que é muito improvável que venham a ter as mesmas proporções que tiveram na Grécia”.

Os protestos já começaram. Esta sexta-feira, enquanto os deputados votavam o plano de austeridade, milhares de pessoas concentraram-se no exterior do Senado, convocadas pelos sindicatos. Dizem que já não se pode viver em Itália:

“Estou aqui por muitas razões. Não estou realmente feliz com este governo e como a forma com as coisas estão a ser resolvidas. Sinto, como qualquer outra pessoa, que estão a roubar uma parte de mim. Tenho o sentimento que a Itália é um grande país, mas já não se pode viver mais aqui”.

Provavelmente, nem o plano é suficiente para resolver a crise, nem os protestos são suficientes para inverter a situação.

A Europa do Sul está sob pressão e não há austeridade que sossegue os mercados.