Última hora

Última hora

Senadores italianos aprovam austeridade do governo

Em leitura:

Senadores italianos aprovam austeridade do governo

Tamanho do texto Aa Aa

O senado italiano aprovou um plano de austeridade para ser implementado nos próximos quatro anos. No entanto, o governo de Silvio Berlusconi ainda tem que submeter o pacote à câmara baixa do parlamento.

Depois de a Itália ter emitido títulos da dívida com um juro recorde, o ministro das Finanças viu o plano ser aprovado com 161 votos a favor e 131 contra. Giuliano Tremonti quer uma solução política da Europa. “Ou avançamos ou então vamos ao fundo. Ou a solução é política ou não existe. Ou é a Europa inteira ou não é. Ninguém deve ter ilusões de sobrevivência individual. Tal como o Titanic, nem os passageiros de primeira classe se salvam, disse o ministro.

O pacote de austeridade avaliado em 48 mil milhões de euros prevê privatizações e cortes nos benefícios sociais.

A oposição quer uma contrapartida. “O governo precisa de fazer agora um real serviço ao país e para a estabilidade económica: demitir-se e abrir caminho a um novo governo”.

Na Grécia e depois da agência Fitch ter baixado a avaliação de 5 bancos na véspera da publicação dos resultados dos testes de resistência, o ministro das Finanças, Evangelos Vennizelos, garantiu que a banca grega está de boa saúde. “Olhando para os olhos de ansiedade dos gregos e sabendo a sua ansiedade, garanto que o nosso sistema bancário não tem qualquer problema”, declarou.

Esta sexta-feira, ficar-se-á a saber até que ponto a banca europeia é saudável. Soube-se esta quinta-feira que dois bancos espanhóis chumbaram – o Banco Pastor e o Catalunya Caixa.