Última hora

Última hora

Massacre de Vukovar não foi esquecido

Em leitura:

Massacre de Vukovar não foi esquecido

Tamanho do texto Aa Aa

Um dos maiores alegados crimes de Goran Hadzic, detido esta quarta-feira, foi o chamado massacre de Vukovar. Em 1991, durante a Guerra da Croácia, forças sérvias capturaram 264 croatas e outros não sérvios de um hospital, quebrando um acordo de evacuação com a Cruz Vermelha.

Os prisioneiros foram transportados para uma quinta não muito longe da cidade onde, depois de torturados e espancados, foram abatidos.

Mas a detenção de Goran Hadzic não chega para finalmente encerrar o trágico capítulo da guerra da Jugoslávia. É que nem todos os restos mortais foram encontrados, como refere a presidente da associação Mães de Vukovar.

“Estou muito feliz pela detenção. Já era tempo. Agora, espero que ele diga tudo o que sabe. Ficaríamos muito contentes se confessasse onde foram sepultados os nossos familiares, referiu

Manda Patko.

“É evidente que os veteranos e prisioneiros de guerra de Vukovar recebem com agrado esta notícia pois ele cometeu um dos mais horríveis crimes na Croácia”, disse Ivan Lukic, veterano de guerra.

Limpeza étnica é o termo mais comum para o crime em Vukovar. Ao todo, Hadzic, antigo presidente da autoproclamada república servia da Krajina é acusado de 14 crimes.