Última hora

Última hora

PM irlandês critica o Vaticano

Em leitura:

PM irlandês critica o Vaticano

Tamanho do texto Aa Aa

O fosso entre Estado e Igreja cresceu num dos países mais católicos do mundo: a Irlanda.
 
O primeiro-ministro Enda Kenny fez um discurso onde atacou diretamente o Vaticano pelo alegado encobrimento dos escândalos de pedofilia.
 
O discurso vem no seguimento do relatório sobre a diocese de Cloyne, agora publicado, que prova o encobrimento por parte da hierarquia da Igreja: “O relatório de Cloyne mostra a disfunção, a desconexão e o elitismo que dominam a cultura do Vaticano hoje em dia. A violação e tortura de crianças foi menosprezada e gerida de forma a dar primazia à instituição, ao seu poder, imagem e reputação”.
  
O antigo bispo de Cloyne, John Magee, é visto como um dos principais responsáveis no encobrimento dos crimes pedófilos por parte de padres da diocese. O relatório fala de abusos sexuais em Cloyne pelo menos até 2009.
 
O arcebispo de Dublin, figura máxima da Igreja no país, já reagiu: “Sinto vergonha daquilo que vejo. Tenho vergonha do que foi feito às vítimas e a outras pessoas na Igreja”.
  
Na origem da ira do primeiro-ministro está uma carta escrita em 1997 pelo Vaticano aos bispos irlandeses, que alguns interpretaram como desencorajando a denúncia dos casos de pedofilia.