Última hora

Última hora

Último grande foragido dos balcãs está detido

Em leitura:

Último grande foragido dos balcãs está detido

Tamanho do texto Aa Aa

A Sérvia deteve o último grande foragido à justiça internacional por crimes dos conflitos nos Balcãs nos anos noventa e reforçou as aspirações de adesão à União Europeia.

Goran Hadzic, um líder servo-croata do tempo da guerra da croácia foi capturado em Krusedol no parque nacional Fruska Gora, a cerca de 65 quilómetros de Belgrado.

Terá sido a tentativa de venda de um quadro de Amedeo Modigliani que permitiu às autoridades detetarem o paradeiro Hadzic.

Em Vukovar, cidade com cicatrizes dos alegados crimes, há satisfação pelo facto do fugitivo ter sido finalmente capturado.

“Claro que estamos satisfeitos por ouvir que ele foi detido. Mas acho que é apenas uma movimentação política, agora que a Sérvia quer entrar na União Europeia”.

“Já não era sem tempo para ser detido. Agora vai enfrentar a justiça e responder pelo que ele fez.”

Foi precisamente em Vukovar onde Goran Hadzic cometeu um dos seus maiores crimes. Em 1991, durante a guerra, forças sérvias capturaram 264 pessoas – a maioria croatas – de um hospital, quebrando um acordo de evacuação com a Cruz Vermelha.

Os prisioneiros foram transportados para uma quinta não muito longe, foram abatidos depois de torturados e espancados.

Agora, Hadzic irá fazer agora companhia a Radovan Karadzic e Radko Mladic na prisão do Tribunal Penal Internacional em Haia.